Você já viu um casamento indiano?

Nem eu … e aposto que 99% das pessoas nunca viram também ( na novela não vale tá.. )

Fazer um casamento indiano então, nem em pensamento !

Dentre os muitos casamentos realizados durante o ano de 2009 e 2010 escolhi o casamento da Lakshmi e Allan para iniciar este blog, já que foi um dos casamentos mais diferentes que eu já fiz .

Quando me dei conta eu estava na casa da minha futura noiva indiana Lakshmi com um desafio ainda imensurável…

Quando cheguei a sua casa a primeira surpresa, como de costume na Índia, tirar os sapatos na entrada (dizem que é para não trazermos as impurezas da rua… faz sentido!).

Vou contar um pouco como foi  essa empreitada…

Conheci a Lakshmi a poucos meses do seu casamento… marcamos uma reunião em sua casa para ter detalhes como seria  a cerimônia e a festa já que quase tudo seria ao estilo tradicional indiano .

*1° dica da cerimonialista – Nunca vá a casa de um indiano com a meia furada…rs

Na reunião estavam eu, Gisele Lidman (do Cais do Oriente) que iria fazer o evento junto comigo, a noiva Lakshmi, o noivo Allan e Mallika a mãe da noiva.

Lakshmi é uma indiana  super falante (oposto do noivo bem tímido ) uma menina  alegre que sorri com os olhos…além de uma risada inconfundível.

Até quando nos falávamos ao telefone ela já me ligava rindo…

Enquanto a reunião seguia, Mallika gentilmente ofereceu um “TCHAI”. ( aquele mesmo da novela…) Eu é que não ia perder a oportunidade de experimentar um legitimo tchai indiano. Uma delicia!! ( segue a receita na nossa cozinha da noiva )

O tempo todo eu pensava comigo mesma… que responsabilidade !

Como vou fazer um casamento tradicional indiano para indianos  sem saber praticamente nada dos costumes ?  Só me lembro de ver algumas coisas na novela  e não era pouca coisa não…

Muitas pesquisas pela frente… internet, consulado indiano…  socorro..!!!  rs

Mas, conversa vai conversa vem  descobri que Mallika foi a consultora da novela “Caminho das Índias”.  Ela sabe tudo de tudo! Não poderia ter pessoa melhor para me ajudar…

E não foi preciso pedir muito porque Mallika “uma querida” me explicou direitinho como seria toda a cerimônia. Completamente diferente e cheia de detalhes…

O primeiro problema ou melhor, desafio… como fazer uma fogueira dentro do Cais do Oriente… (isso faz parte da cerimônia e não pode faltar…)

Lalá (é a Lakshmi para os íntimos… rs) optou por um casamento com a cerimônia indiana realizada pelo “PANDITH” (sacerdote Hindu) que viria da Índia e a festa mesclada com costumes brasileiros… pois afinal seu noivo é brasileiro.

Por falar em noivo, coitado, escutava quieto as quatro mulheres sem chance de falar… rs

Como a reunião ia se estendendo, a mãe da noiva ofereceu um pãozinho de queijo… Eu prontamente aceitei por que não? rs

Só depois fui descobrir que Mallika foi fazer o pão de queijo… não estava pronto!

Não preciso nem dizer que não sabia onde enfiar  minha cara “que vergonha”!

Estavam muito gostosos… além de vir acompanhado de uma manteiga chamada  Ghee (Manteiga clarificada)  e de um chutney de coentro para passar no pão, ambos feitos por ela e que alias estavam uma  delicia! Encomendei depois para comer aqui em casa também!

Foram várias saídas para provas de doces, bolo, vestido, emails, reuniões…etc…etc.

Os meses passaram e chegou a hora de colocar a teoria em prática!

Chegou o grande dia!!!!  Vamos começar!

Todos os convidados foram recepcionados pela minha equipe bilíngüe devidamente caracterizada e recebiam um bindi para ser colado na testa simbolizando o terceiro olho…

O local da cerimônia e recepção  foi lindamente decorado pela Juliana ( cenógrafa da Globo ) demorou dois dias para finalizar . Foram usados vários objetos e sáris do acervo pessoal da familia da noiva  trazidos da India .


Assim que a noiva chegou no Cais do Oriente Iniciamos a cerimônia.


Como manda o costume, todas as pessoas que ficariam no altar deveriam ficar descalças… e assim o fizemos…

O cortejo seguiu os padrões brasileiros, cada casal de pais e padrinhos entrava com uma musica especifica. O único problema é que as musicas eram tocadas por um grupo especializado em musicas e mantras da cultura indiana.

Isso não seria problema se para nossos ouvidos latinos as musicas não soassem tão parecidas. Todas começavam com um canto bem suave e depois entravam os instrumentos dando ritmo… pareciam todas iguais… Mas peguei o “jeitinho”  rs

O noivo entrou primeiro lindo e sorridente.


Depois os pais e os tios mais velhos, cada um levando um colar de flores que seriam trocados pelos noivos no altar…


Os casais de padrinhos também entraram  com uma bandeja de frutas e doces que também tinham um simbolismo na cerimônia.

E finalmente a noiva Lakshmi com seu pai o Sr. Krishnaswamy…  apesar de nervosa  e ansiosa transbordava de alegria.  Estava maravilhosa de sári vermelho a cor das noivas na Índia.… o branco não pode ser usado é para as viúvas…

Seus pés e mãos estavam todos pintados com Henna.… lindíssima !!!

Com muitas pulseiras de ouro que compunham seu visual !

A hora das alianças foi um momento único onde a daminha Karina Ferrari entrou dançando com as alianças amarradas em uma pulseira de flores .

Durante a cerimônia foram rezados vários mantras e os pais abençoaram os noivos…

Enquanto isso eu rezava para que a fogueira do altar não disparasse  os sprinters…


Houve a troca de alianças como em todos os casamentos e também a colocação de anéis nos pés da noiva que também corresponde a nossa aliança aqui no ocidente …

Para a entrada no salão a noiva trocou a sua roupa e colocou um outro tipo de sári para poder dançar com mais liberdade de  movimento . A música escolhida  foi “Azeem o Shaan Shahensh “  Depois os noivos seguiram para a pista de dança, onde cortaram o bolo , fizeram  o brinde e agradeceram  em português e inglês já que muitos dos convidados a maior parte eram da Índianos , Americanos, Franceses…

Segue o link da primeira dança do casal .. fizeram um show a parte junto com as dançarinas .

E claro para a alegria das solteiras o famoso buquê…


A festa foi um sucesso ! Missão cumprida !


Um pouco sobre os rituais do casamento


Shilarohana (pisando em cima da pedra)

A noiva coloca o pé direito em cima de uma pedra ( essa tem que ser estável). O noivo diz a noiva que ela deve ser tão firme quanto aquela pedra, para que possam, juntos, enfrentar os inimigos e as dificuldades da vida.

Nos tempos védicos, textos em sânscrito mencionam 16 adornos que uma mulher pode usar para se enfeitar. Bindi (adesivo que se coloca no espaço entre os olhos, significando a terceira visão), Colares, brincos, flores no cabelo, pulseiras, anéis, Braceletes ‚  cintos, tornozeleiras , kajal, henna (conforme crença popular, quanto mais escuro a henna ficar nas mãos da noiva, maior será o amor que o marido sentirá por ela durante a vida, e outra tradição é que a noiva só pode fazer afazeres domésticos em sua nova casa, quando toda a henna tiver saído de suas mãos e pés), perfume, pasta de sândalo, blusas enfeitadas, saias enfeitadas e os anéis nos pés. Alguns desses adornos só são usados por mulheres casadas. Como exemplo, os anéis nos pés (um em cada pé, no segundo dedo) que são o equivalente as alianças nos dedos das mulheres casadas no ocidente, porém devo ressaltar que nos dias de hoje algumas mulheres solteiras também usam os anéis de pé apenas como enfeite.

Outras quatro coisas que caracterizam a mulher casada são a marca vermelha feita com Kumkum (um pó vermelho feito com sândalo) no começo da divisão do cabelo da mulher, o qual significa boa sorte e que a alma do marido está com a esposa. E a segundo adorno é o Mangala Sutra, um colar que é posto na noiva pelo noivo e vai dar proteção a noiva durante todo o casamento. Esse colar simboliza também uma aliança de casamento, uma vez que a mulher casada indiana só vai tirar o Mangala Sutra no dia que o marido morrer.  Pulseiras vermelhas e brinco no nariz.

Normalmente o sári da noiva é vermelho (significa fertilidade), com bordados em dourados (feitos com fio de ouro) (significa riqueza) e detalhes em cor branca ( que significa pureza).


As sete voltas em volta do fogo sagrado.

Primeiramente o fogo sagrado só pode ser aceso por um sacerdote treinado para invocar o Deus Shiva. As sete voltas devem ser dadas pelo noivo juntamente com a noiva, esse ritual sela o casamento, depois de dar as sete voltas não tem mais como se separar. Segundo a filosofia hindu quando duas pessoas dão as sete voltas juntas em torno do fogo sagrado, serão amigos por toda vida. No começo de cada volta que será dada, deverá ser dito uma promessa.

As sete promessas são:

1ª volta: Que a gente dê esse primeiro passo para nossa casa. Mantendo uma dieta pura e evitando coisas que possam nos ferir.

2ª volta: É para o desenvolvimento físico, mental e para invocar o  poder espiritual.

3ª volta: Para aumentar a riqueza por meios justos e apropriados.

4ª volta: Para adquirir conhecimento, felicidade e harmonia através do amor, respeito e lealdade mútuo.

5ª volta: Para que o casal seja abençoado com filhos fortes, virtuosos e heróicos.

6ª volta: Para que o noivo e a noiva vivam durante muitos anos.

7ª volta: Para que sejam verdadeiramente companheiros de uma vida intera.

Significado de alguns dos itens usados durante a cerimônia de casamento hindu:

Flores frescas: significam a beleza

Coco: Significa a fertilidade

Arroz, doces, grãos: A necessidade da comida para o sustento da vida humana

Ghee (Manteiga clarificada): Significa o alimento do fogo sagrado

A equipe que trabalhou comigo foi maravilhosa… João Salamonde foi o responsável por essas lindas fotos… pelo vídeo Roberto e a Mair Lopes .

 

8 Comentários

Página 1 de 11